Descubra como a terceirização pode ajudar seu negócio

Vale a pena terceirizar a operação logística?

Written by admin

On 9 de maio de 2019

Este tipo de decisão, escolhendo entre operação logística própria ou terceirizada, é algo que pode decidir o futuro de muitas empresas. A decisão correta depende de muitos fatores, além da necessária  integração entre os departamentos da empresa para que seja uma escolha de sucesso.

Isto se dá devido às várias alternativas existentes. No passado, a escolha era geralmente de um modelo engessado com serviços definidos. Atualmente, o leque de oportunidades pode fazer confusão até em gestores experientes. Inclusive é possível combinar diversos níveis de serviço e segmentá-los por região e claro, por tipo de consumidor.

 

Operação logística própria

Os resultados e estratégias de logística são próprias e inerentes a cada modelo de negócio. Apesar das combinações serem inúmeras, as consequências de cada escolha serão as mesmas. Se serão boas ou ruins para o seu negócio, isso vai depender das singularidades da sua empresa.

A decisão de incorporar uma logística própria é o capital e os níveis de serviço. Operações com logística in house demandam diversos investimentos, tais como:

  • materiais de manuseio de produtos,
  • maquinário,
  • espaço físico,
  • veículos,
  • pessoal qualificado para gestão e operação, transportes, manutenção, e
  • tecnologias de gerenciamento.

 

Pontos a considerar em uma operação própria

Obviamente, as necessidades variam de acordo com o tamanho da empresa e que serviços serão terceirizados.

Empregar uma logística própria dificilmente será uma tarefa simples, embora possa aumentar o patrimônio e valor de mercado da empresa. A absorção de expertise e a tendência de estabilização dos custos pode, a longo prazo, ser animadora a quem emprega uma logística própria. Mas o inverso também é verdade: se a transição não é bem planejada, o prejuízo pode abalar as estruturas da empresa e trazer várias dificuldades na operação.

Vale ainda lembrar que a adoção de uma operação própria dá a impressão de ter mais controle sobre o nível de serviço, uma vez que a empresa conhece os seus clientes e produtos como ninguém. Porém, os problemas de escala e expertise podem trazer um resultado completamente oposto ao esperado.

 

Operação logística terceirizada

Adotar uma logística terceirizada tem a principal vantagem no ponto fraco da logística própria – tende a ser mais barato. As frentes de diminuição de custos são inúmeras, já que os prestadores de serviço logístico diluem entre seus clientes, os custos de:

  • maquinário,
  • mão de obra e
  • tecnologia.

O contratante ainda pode escolher quais serviços deseja terceirizar, customizando totalmente a operação.

Afinal, o que posso terceirizar?

É bom frisar também que falar em logística própria é muito diferente de falar em frota própria. Uma empresa pode terceirizar uma parte isolada ou toda a sua operação, e isso não se resume apenas aos transportes. Quando falamos em terceirização de logística, os principais serviços são:

  1. Mão de obra – a empresa continua possuindo os ativos físicos da operação e a tecnologia, com a terceirização de mão de obra sendo operada nestes ambientes e dispensando a contratação de funcionários próprios.
  2. Espaço físico – com o aluguel de armazéns e centros de distribuição. Empresas podem contratar serviços de self storage para controlar o estoque de forma mais econômica.
  3. Frota – esse é o tipo mais comum de terceirização, em que a empresa contratada “aluga” a sua frota para a contratante operar com a sua própria mão de obra. Esse tipo de terceirização também é conhecida como 2PL.
  4. Empacotamento – Apesar de poucas, existem algumas empresas que se colocam responsáveis por todo o empacotamento das encomendas de e-commerces.


Como decidir entre operação logística própria ou terceirizada

Longe ser algo intuitivo, a escolha entre operação logística própria ou terceirizada deve levar em conta motivações práticas e guiada por objetivos do negócio que serão consequências dessas decisões. Qualquer gestor de operações logísticas precisa considerar o impacto no cliente, quer atenda o mercado B2B ou B2C, antes de tomar qualquer decisão.

A definição da demanda da empresa por diferentes níveis de serviços logísticos, tendo em conta o core business e os desdobramentos para o consumidor são parte integrantes do processo decisório. O passo seguinte é a avaliação financeira. Adquirir uma operação logística própria ou terceirizada só poderá ser avaliada corretamente se tomada com base no alinhamento com o planejamento periódico de negócio.

Como ponto final, é bom nunca se esquecer: o cliente vem em primeiro lugar. Avaliar financeiramente é importante no momento de escolher entre operação logística própria ou terceirizada, evidentemente. Mas a experiência e a satisfação do consumidor final vai ditar qual é a melhor forma de definir a operação de uma empresa.

E você, como tem fundamentado suas escolhas nas operações de logística de sua empresa? Elaboramos um eBook que aborda os principais aspectos que devem ser levados em conta, ampliando este artigo, incluindo vários exemplos práticos. Para baixar, basta deixar seu e-mail e realizar o download no formulário abaixo.

 

You May Also Like…

Terceirização: entenda de uma vez a lei, em 7 pontos

Terceirização: entenda de uma vez a lei, em 7 pontos

A nova lei de terceirização já completou alguns anos de existência, mas ainda desperta dúvidas e polêmicas em sua aplicação. Aprovada em 22 de março de 2017, trata-se de um projeto que foi discutido na esfera política desde 1998. Você tem consciência de como isso pode...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat